Topo

Radar


"Gays & Videogames": Zine retrata a intimidade de casais que jogam

Divulgação
Zine de Bruno Freire foi lançado na POC-CON, em São Paulo Imagem: Divulgação

Bruno Izidro

Do START, em São Paulo

2019-06-24T15:48:51

24/06/2019 15h48

Um casal que acabou de comprar um Nintendo Switch. Um crush no ônibus/metrô jogando "Pokémon GO". Essas são algumas situações fofas retratadas na coletânea de ilustrações "Gays & Videogames", do artista baiano Bruno Freire.

Em sua barraquinha montada no meio da POC-CON, feira de quadrinhos LGBTQ+ que aconteceu no último sábado (22) em São Paulo, Bruno lançou o fanzine com bastante sucesso. Ele havia levado 100 cópias para a feira e vendeu quase todas. Ainda assim, a ficha parecia que não tinha caído para ele. Até poucos meses atrás, Bruno ainda sentia vergonha de postar o que desenhava.

Já veio muita gente falar que minha arte dá um quentinho no coração, mas isso é que dá um quentinho no meu coração, ver que eu causo isso nas pessoas
Bruno Freire, artista

Divulgação
Imagem: Divulgação

Entre olhares curiosos e folheadas rápidas, os visitantes apontavam e sorriam ao se reconhecer em situações ilustradas por Bruno. "Isso foi muito gostosinho de ver", contou ele ao START, enquanto guardava os poucos exemplares que sobraram ao final do evento.

Cada ilustra, uma história

"Gays & Videogames" é resultado de uma série de ilustrações que Bruno Freire começou a postar em suas redes sociais no fim do ano passado. O que chama a atenção nas artes é como elas retratam a intimidade de uma relação que tem os videogames como parte integrante da vida de um casal.

Fã da Nintendo e de jogos como "Monster Hunter" e "Splatoon", Bruno diz que foi bem natural para ele criar as ilustrações, já que muitas foram baseadas em situações que fazem parte do cotidiano dele com o esposo, que também joga.

Os likes no Twitter e, principalmente, o carinho que recebeu pelas ilustrações motivaram Bruno a criar as demais artes, já pensando em formar a coletânea. No total, "Gays & Videogames" tem 9 ilustrações, cada uma retratando uma situação diferente e que conta, por meio dos detalhes, uma história própria.

"Tentar contar uma história em uma ilustra só é algo que eu me divirto muito fazendo", comenta Bruno. "Como eu tenho muita intimidade com esses jogos, foi fácil botar detalhes, como um pôster de 'Bloodborne' na parede ou a tela do 'Splatoon'. A maioria (dos detalhes) vem disso, de eu passar mesmo essas situações e ser fácil, pra mim, incluir detalhes que passam essas histórias que quero contar".

Reprodução
Bruno Freire, autor de "Gays e Videogames" Imagem: Reprodução
Mesmo ilustrando cenas de intimidade, Bruno ainda quis separar duas páginas de quadrinhos para contar algo mais pessoal: a relação de ser gay e jogar, seja quando tirava todas as roupas do personagem dele no MMORPG "Perfect World" escondido ou, mais recentemente, quando decidiu jogar "Dragon Age: Inquisition" só porque descobriu que dava para namorar o personagem Iron Bull.

Eu fui ficando mais confiante para postar artes gays e eu achei um passo legal eu estar confortável ao ponto de me abrir desse jeito na zine
Bruno Freire, artista

Ainda mais animado e satisfeito depois da POC-CON, Bruno agora pretende terminar uma HQ de fantasia que está elaborando há alguns anos e expandir também o zine, talvez não mais com a temática de games, mas ainda, segundo ele, com desenhos de homens bonitos.

Mais Radar