Topo

Final Fantasy


Livros, jogos e animes! O universo de "Final Fantasy VII"

Divulgação
Imagem: Divulgação

Daniel Esdras

Do GameHall

2019-06-14T18:00:00

14/06/2019 18h00

Entender "Final Fantasy VII" não é tarefa fácil. Lançado originalmente em 1997 para o PlayStation, o jogo foi um gigante em vendas e se tornou um ícone da cultura popular. Com uma narrativa densa e uma história cheia de nuances, a Square conseguiu expandir esse universo para diversos outros jogos e até mesmo mídias, como filmes e animes, o que enriquece a experiência, mas também complica o entendimento.

Reunimos em ordem cronológica os principais lançamentos desse universo fantástico para que você possa conhecer o que ainda não tinha visto e matar parte da saudade de tudo que rolou até então. Além, é claro, de se preparar para o remake promissor que vêm por aí.

"Crisis Core: Final Fantasy VII" (2007)

Reprodução
Imagem: Reprodução

Se tem um personagem que chegou próximo do carisma do Cloud Strife e que angariou também uma porção de fãs é Zack Fair, protagonista de "Crisis Core: Final Fantasy VII", lançado em 2007 para PSP. Na linha temporal do universo de "FF VII" esse jogo é o primeiro, com seus eventos ocorrendo sete anos antes do jogo original.

Zack é um SOLDIER, assim como Cloud era, e trabalha na Shinra para o doutor Lazard Deusericus. Durante Crisis Core, a narrativa vai contar como foi o embate entre Zack e um SOLDIER desertor da Shinra chamado Genesis Raphsodos, ou G, para os mais íntimos.

Vários pontos abertos na história do jogo original são fechados aqui, e aprendemos mais sobre a Buster Sword, a espada gigante de Cloud, que antes era exatamente do Zack.

Reprodução
Imagem: Reprodução

Em teoria, o combate de "Crisis Core" é por turnos, mas o design foi pensado para dar a impressão de tempo real, com cada ação e intervalo entre as escolhas de ataques e magias acontecendo de forma rápida.

Um sistema que foi implementado aqui como novidade foi o chamado DMW (Digital Mind Wave), que fica no canto da tela parecendo com um caça-níquel. Dependendo da combinação conseguida no DMW, como três setes, por exemplo, o jogador podia conseguir status especiais, potencializar matéria ou até mesmo fazer invocações.

O jogo foi bem recebido, teve boas notas da crítica e já se tornou um clássico para os fãs de "Final Fantasy", especialmente para quem gosta do universo criado para o VII. E nem precisa dizer que ele é essencial para quem quer entender toda a história desse capítulo da franquia.

"Before Crisis: Final Fantasy VII" (2004)

Reprodução
Imagem: Reprodução

Desenvolvido e publicado pela Square Enix em 2004, "Before Crisis: Final Fantasy VII" também narra eventos que ocorrem antes da história original, desta vez seis anos antes. O jogo foi o primeiro da Square Enix para dispositivos mobile, sendo lançado no Japão para uma série de modelos da época.

Embora tenha rolado um rumor de que o jogo sairia para o ocidente, incluindo até mesmo uma quase confirmação da Square durante a E3 de 2006, os celulares do ocidente não atenderam as expectativas técnicas esperadas e a localização acabou cancelada. Anos depois, surgiram alguns rumores de que o jogo seria lançado para 3DS em algum momento, mas o silêncio prevalece até hoje.

Assim como acontecerá com o remake de "Final Fantasy VII", "Before Crisis" foi lançado de forma episódica, com 25 partes no total.

A história gira em torno dos Turks, um grupo secundário no jogo original mas que ganhou notoriedade em quase todos os jogos e filmes complementares do universo criado para "FF VII".

Reprodução
Imagem: Reprodução

O jogo conta com movimentação em duas dimensões e combate em tempo real. Há um modo para completar a história e um livre, onde o jogador pode completar diversas missões para ganhar experiência e itens, alguns deles até exclusivos deste último modo.

"Final Fantasy VII" (1997)

Reprodução
Imagem: Reprodução

Chegamos no jogo que deu origem a todo esse universo. "Final Fantasy VII" foi lançado em 1997, e conta a jornada de Cloud Strife, um mercenário contratado por eco terroristas autodenominados "AVALANCHE" para combater a corporação "SHINRA", que está utilizando a energia do planeta em benefício próprio e ameaça a existência de todos.

O jogo foi um sucesso e contou com vários dos personagens mais amados da história da franquia. Além de Cloud, outros como Aerith, Barret, Tifa e até mesmo o vilão Sephiroth, que possui um dos temas mais legais da história dos games, são ícones não só da série, mas da mídia como um todo.

Divulgação
Imagem: Divulgação

O jogo original contou com o famoso ATB (Active Time Battle System), um sistema de combate por turnos que conta com algumas particularidades. Durante o combate, a barra de ATB de cada personagem vai sendo preenchida aos poucos e quando completada, dá a ele a opção de realização de uma ação. Dependendo do encontro, os inimigos poderiam te pegar desprevenido e ter a iniciativa, ou o oposto, com seu time atacando primeiro.

O sistema de "Materia" ditava as habilidades que os personagens poderiam utilizar, que variavam entre ataques físicos, magias e invocações, os famosos "Summons". Esse sistema também regia os "Limits", ataques especiais que podiam ser executados depois que a barra de "Limit" era preenchida.

Reprodução
Imagem: Reprodução

Em 2020 receberemos o remake deste clássico, feito com o que há de mais moderno em tecnologias de renderização e com diversas mudanças nos seus sistemas de combate. A Square Enix detalhou bem a proposta na sua conferência na E3 2019.

"Final Fantasy VII: Advent Children" (2005)

Reprodução
Imagem: Reprodução

"Advent Children" é um filme de animação lançado em 2005 que conta eventos que se passam após o jogo original, nesse caso dois anos depois. O foco do filme está no problemas pessoais de Cloud e no porquê de ele ter se distanciado dos amigos.

Não vamos dar spoilers, mas o filme foi impressionante para a época em quesitos técnicos e é obrigatório para os fãs desse universo, principalmente quem terminou o jogo original.

"Dirge of Cerberus: Final Fantasy VII" (2006)

Reprodução
Imagem: Reprodução

"Dirge of Cerberus" foi lançado no PS2 e se passa três anos após o jogo original. Dessa vez o jogador está no controle de Vincent Valentine e poderá saber mais sobre seu passado enquanto luta contra um grupo de SOLDIERS chamados de Deepground, que planejam reativar uma arma com poder de destruição em massa.

Reprodução
Imagem: Reprodução

O jogo é um Shooter em terceira pessoa com elementos de RPG, algo inesperado levando em conta o histórico da franquia. Vincent vai ganhando pontos que servem para aumentar níveis ou atributos ao derrotar inimigos e pode melhorar e evoluir a sua arma utilizando "Materia".

A versão japonesa contou com um modo multiplayer, onde o jogador podia criar um SOLDIER da Deepground e então enfrentar os outros jogadores.

Reprodução
Imagem: Reprodução

Um capítulo extra para a história de Vincent foi lançado para dispositivos mobile em 2006, dando detalhes extras para alguns eventos que rolaram no meio do jogo. Foi lançado um modo multiplayer para esse capítulo extra e os servidores foram desligados no ano passado.

Conteúdos adicionais

Diversos conteúdos extras que contam mais sobre esse universo foram lançados com o tempo. "Last Order Final Fantasy VII" é um exemplo. Essa animação (OVA, "original video animation") de 25 minutos detalha dois eventos através de flashbacks. Um deles ocorre cinco anos antes do jogo original, contando com Cloud, Aerith, Tifa e Sephiroth enquanto o outro se passa durante o período de "FF VII".

Reprodução
Imagem: Reprodução

Já o livro "On The Way To A Smile" faz o elo entre o jogo original e o filme Advent Children, preenchendo as lacunas deixadas pelos dois anos de intervalo entre as duas produções. O livro até é vendido em sites com entrega para o Brasil, mas não foi traduzido para a nossa língua.

Uma outra OVA foi lançada em 2009 para contar parte dos acontecimentos descritos no livro, chamada "On The Way To A Smile: Episode Denzel".

Reprodução
Imagem: Reprodução

Mais Final Fantasy