menu

Topo

Dragon Ball


Dragon Ball AF: como um desenho de fã enganou o mundo todo nos anos 2000

Reprodução
A lenda em torno de "Dragon Ball AF" ganhou proporções enormes após essa imagem ser divulgada Imagem: Reprodução

Rodrigo Lara

Do Gamehall

2017-04-26T04:00:00

26/04/2017 04h00

Se você é fã de "Dragon Ball" é provável que, em algum momento, tenha visto a imagem aqui ao lado. Mais do que um desenho que lembra os traços de Akira Toriyama, criador da série, ele foi um dos principais responsáveis pela popularização de um mito que enganou muito fã de "Dragon Ball" na virada do milênio.

Falamos aqui de "Dragon Ball AF", a suposta continuação da série após o fim de "GT", em 1997 - anime, aliás, que não faz parte do cânone oficial da obra. Chega a ser curiosa, inclusive, a maneira como essa lenda se espalhou em uma época na qual a Internet ainda engatinhava.

Prova de fanatismo

Se fôssemos citar uma razão principal para o boato de que "Dragon Ball" teria uma continuação ter se espalhado com tanta facilidade, é possível dizer que isso foi consequência da ânsia dos fãs por uma continuação após "GT" ficar muito distante da qualidade de "Dragon Ball Z".

Relembre 12 momentos de tirar o fôlego em "Dragon Ball Z"

UOL Jogos

A conversa seguia na base do "meu primo que mora no Japão contou que vai ter uma continuação", até que, em maio de 1999, uma revista de games chamada Hobby Consolas publicou um desenho enviado por um leitor chamado David Montiel Franco. No caso, tratava-se da imagem que abre este texto.

Reprodução
Suposto logo de "Dragon Ball AF" guarda muitas semelhanças com o oficial de "Dragon Ball GT" Imagem: Reprodução

Foi o suficiente para os fãs mais ansiosos assumirem que se tratava de Goku transformado em Super Saiyajin 5 - na verdade, segundo o autor, o personagem retratado é um tal de Tablos que, claro, não existe - e, rapidamente, o desenho ganhou status de oficial. Foi a deixa para que muito material relacionado ao tal "Dragon Ball AF" começasse a surgir, incluindo um suposto logo do anime.

Nessa época, um tal de Studio Tomita também contribuiu para essa espécie de lenda urbana ao divulgar imagens extremamente bem feitas e detalhadas de personagens fictícios, como Gohan transformado em Super Saiyajin 4. Pouco tempo depois foi descoberto que o nome "Studio Tomita", porém, não se referia a alguma empresa licenciada por Toriyama, Toei ou companhia, mas sim um simples grupo de fãs talentosos que criam ilustrações derivadas de seus desenhos favoritos.

Reprodução
Os fãs acreditavam que "Dragon Ball AF" seria uma sequência direta do que ocorreu em "GT". E as teorias ganharam força após desenhos de altíssima qualidade passarem a ser criados por fãs e espalhados pela Internet Imagem: Reprodução

Nada disso, porém, parecia importar: tanto o desenho publicado na revista espanhola quanto as artes do tal Studio Tomita, somados com animações toscas feitas por fãs, eram suficientes para convencer os fãs mais ansiosos de que "Dragon Ball AF" era uma realidade. Faltava apenas um detalhe: a história.

Dragon Ball AF ganha um enredo

Se os fãs já estavam certos de que "Dragon Ball AF" seria, de fato, a continuação da série, o rumor ganhou ainda mais força após uma brincadeira de 1º de abril do site DaizenshuuEX, uma das principais fontes de notícias sobre "Dragon Ball" e famoso por ser um ponto de encontro de fãs de longa data do anime.

Para a ocasião, a página publicou uma espécie de anúncio do suposto anime, contendo imagens criadas por fãs e texto em japonês. Quem tinha familiaridade com o idioma percebia, de cara, que se tratava de uma piada. Não é preciso dizer que muita gente acabou caindo na brincadeira e tomou a imagem como algo real.

Reprodução
Em um determinado momento, aspirantes a mangaka decidiram criar mangás de "Dragon Ball AF", o que aumentou ainda mais a quantidade de pessoas que acreditava na veracidade da série Imagem: Reprodução

A situação ficou ainda mais crítica quando Toyble (este, curiosamente, é um dos ilustradores de "Dragon Ball Super" e tido por Toriyama como seu sucessor) e Young Jiji, então dois aspirantes a mangaka, resolveram criar mangás da série imaginária. Em ambos os casos, as obras criadas possuíam uma qualidade visual impressionante, podendo facilmente serem confundidas como um mangá original da série. Ainda que eles deixassem claro que se tratava de uma fan fic (história criada por fã), muita gente ignorou o aviso.

Juntamente com eles, surgiam supostos enredos para a "nova série". Em um deles, é retratada a batalha contra Zaiko (ou Xicor), um filho ilegítimo de Goku com uma Kaioshin que era mais forte do que Vegeta e Gohan transformados em Super Saiyajin 4. Havia também outras histórias criadas por fãs, como a que mostra Goku absorvendo as sete esferas do dragão e se tornando um vilão ou, ainda, a criação de novos brincos potara capaz de fundirem mais de duas pessoas.

Em resumo: a criatividade dos fãs era o limite, ao ponto de que mesmo versões alternativas de personagens de games como "Dragon Ball Z: Budokai Tenkaichi" eram tidas como "um sinal" de que "Dragon Ball AF" seria criado. Ou ainda, com fãs criando estátuas colecionáveis baseadas em algo que simplesmente não existia.

Reprodução
Exemplo de colecionável criado por fãs; em determinado momento, "Dragon Ball AF" tinha status de obra oficial Imagem: Reprodução

Enfim uma continuação para "Dragon Ball Z"

Os fãs que juraram de pés juntos que "Dragon Ball" teria uma continuação não estavam completamente errados: um novo anime, de fato, daria sequência à saga de Goku e companhia e os saiyajins alcançariam outras transformações, elevando seu nível de poder. Havia, porém, duas diferenças cruciais: o anime não se chamaria "Dragon Ball AF" e continuaria a partir da história de "Dragon Ball Z", transformando de vez "GT" em uma obra paralela e sem relação com a história oficial da obra.

Falamos aqui de "Dragon Ball Super", que está em exibição desde julho de 2015 e, de certa forma, jogou por terra qualquer teoria maluca que ainda pudesse existir sobre um possível "Dragon Ball AF".

Reprodução
De fato, "Dragon Ball" teve uma continuação na qual Goku ganharia novas transformações; ela, porém, ignora o ocorrido em "GT", foi lançada em 2015 e se chama "Dragon Ball Super" Imagem: Reprodução

Ainda assim, o rumor que durou mais de uma década e enganou muita gente deixou marcas na base de fãs do anime acabou moldando o comportamento de parte da base de fãs do anime. Um exemplo disso é a criatividade na hora de criar teorias mirabolantes sobre o enredo da série, inventar novas transformações para os personagens ou, ainda, dar peso de "oficial" a materiais criados por fãs. Ainda assim, é possível dizer que as discussões sobre "Dragon Ball AF" fizeram com que a comunidade se mantivesse ativa durante o hiato da série e, de certa forma, é uma das razões para o atual sucesso de "Dragon Ball Super".

As curiosidades dos 30 anos de "Dragon Ball"

UOL Jogos

Mais Dragon Ball